Translate

04/04/2017

O Visconde Que Me Amava - Julia Quinn






Série: Os Bridgertons (Livro 2)

Autor (a): Julia Quinn

Tradutora: Ana Resende

Editora: Arqueiro

Páginas: 304

Ano de lançamento: 2013

Onde comprarSaraivaLojas Americanas e Submarino 


Sinopse: "A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
 Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. 
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. 
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração. 
Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis."


Em 1814 graças ao jornal de Lady Whistledow, é difícil ser um londrino e não saber quem é a família Bridgerton ou conhecer a reputação de seus membros. A grande família é famosa pelo número de irmãos, oito, e nomeados em ordem alfabética (listados na resenha de O Duque e eu), pela fortuna que possuem, pela boa aparência que os genes dos Bridgertons carregam e por serem pessoas que não temem demonstrar o amor que sentem uns pelos outros.

Anthony Bridgerton é o filho mais velho, protagonista desse volume da série, e assumiu a responsabilidade de cuidar da família desde a morte de seu pai, pela qual ainda sofre. E conduz essa tarefa com maestria: cuida do dinheiro da família, da reputação das irmãs e é inteiramente dedicado a família. Porém nas ruas, ele é um libertino. Muito bonito, extremamente charmoso e poderoso, nem precisa se esforçar para conseguir a atenção das mulheres. Ao chegar perto dos 30 anos, atormentado pelos seus medos, resolve que está na hora de se casar e deixar herdeiros para a família, mas essa decisão é tomada por motivos completamente errados.

Anthony idolatrava o pai como seu herói e para ele, seu pai foi a melhor pessoa que já existiu. Era dedicado, apaixonado e sempre foi fiel a sua esposa. Um pai exemplar, sem diferenciar seus filhos e sempre tendo tempo de dar atenção a todos eles. Era um excelente administrador e conseguiu aumentar a fortuna da família, deixando todos muito confortáveis durante a vida. Para ele, não havia como superar seu pai, ele nunca conseguiria ser melhor que ele em nenhuma parte da sua vida, nem na morte. Por acreditar que nunca o superaria, Anthony tinha um medo e uma certeza de que ele também iria morrer jovem, mais precisamente, antes dos 39 anos. E por isso, resolve que deve escolher uma esposa que seja bonita,  afinal, iria se deitar com ela. Teria de ser uma esposa inteligente, pois iria conviver com essa pessoa até o final de seus dias. E o principal fator, ele não deveria se apaixonar por ela. Deveria tratá-la com respeito e educação, porém nunca com amor, para que ela também não o amasse e não ficasse triste e desolada como sua mãe Violet ficou, quando seu pai faleceu.


Do outro lado da história, temos as irmãs Edwina e Kate, que estão em Londres só para a temporada de bailes. Kate perdeu sua mãe muito jovem e sequer lembra aquela que lhe deu a vida, mas criada com muito amor pela sua madrasta, ela sempre enxergou Mary como sua mãe e prometeu a si mesma proteger sua irmã Edwina da melhor forma que pudesse dos homens que a circundavam desde que ela debutou. A família é do interior, então não tem muitos recursos, precisaram economizar bastante para comparecer a Londres, e casar as duas donzelas que são órfãs de pai. 


Edwina é linda, e chama atenção de quase todos os rapazes da cidade, enquanto Kate é vista apenas como a irmã mais velha de Edwina. Com ela sendo a jovem mais cotada da temporada, Kate se sente muito pouco perto de Edwina, a sua irmã perfeita, mas a ama imensamente, são inseparáveis. Para compensar nunca ser cortejada em festas ou nunca ser reparada quando estavam juntas, Kate se tornou uma mulher extremamente engraçada, forte, sarcástica e muito perspicaz.


 "Era engraçado, refletiu mais tarde, como a vida de alguém podia mudar num único instante, como tudo podia ser de um jeito num minuto e, no seguinte, simplesmente se transformar em algo…diferente."


Anthony em sua busca por uma esposa que preencha os requisitos fica conhecendo então, a linda irmã mais nova de Kate, e decide que ela será a esposa perfeita. Sendo assim, resolve fazer a corte. Mas logo percebe que essa não será uma tarefa fácil, afinal, para cortejar Edina, ele precisa da aprovação da Kate, e ela não acredita que libertinos possam mudar.

Porém, ela jamais imaginou que teria tanta dificuldade de afastar alguém quanto ela passa a ter quando o charmoso, e libertino, só pra lembrar, Anthony Bridgerton começa a fazer à corte a sua bela irmã. Ele que tinha uma maneira toda especial de irritá-la, mas por mais que ela tentasse se manter afastada, algo nele faz com que ela deseja conhecer a verdadeira personalidade do visconde que ele parece esconder tão bem. Ela só não imaginava que ao fazer isso, tivesse um vislumbre de alguém que ela poderia amar para sempre. Anthony, por outro lado, se vê perdido  quando conhece a verdadeira Kate, tudo muda, e é por ela que seu coração acelera, e sua vontade de provocá-la é só uma desculpa para estar perto dela.


"Alguns laços, ele começava a perceber, eram mais fortes que os de sangue."


Neste livro Kate é uma protagonista forte, decidida, desastrada,  e não se importa muito com os padrões da sociedade. Conhecemos também, um pouco mais da história dos Brigertons, e descobrir que o pai do Anthony, era simplesmente encantador, e entender a responsabilidade que o Anthony carrega desde a sua morte foi incrível. Julia Quinn, tem mestrado em  prender os leitores em seus livros, e sendo considerada a Jane Austen da nova geração, não poderia ser diferente.

"O amor não tem nada a ver com o medo de que tudo acabe, mas com encontrar alguém que o complete, que faça de você um ser humano melhor do que jamais sonhou ser."


O livro é de fato muito bem escrito, tem uma leitura extremamente fluída e não é muito grande, o que faz com que você consiga ler em um dia ou menos. A história é muito bem construída e não tem pontas soltas. O foco do livro, é a relação entre Kate e Anthony, e a importância dos laços familiares, e apesar da carga emocional que esperava, o é de uma leveza incrível, e faz o leitor dar boas risadas do começo ao fim.  Uma leitura  agradável, engraçada, e acabou sendo maravilhosa. É um daqueles livros que você não quer parar de ler, a cada página você quer mais, e quando acaba, você se sente órfã. Além de tudo, o livro tem ótima diagramação, páginas amarelas e a capa é linda. 


Espero que tenham gostado, um beijo e um queijo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário: